Mudança de endereço …

Obedecer a palavra
Uma família morava de aluguel em um local bem situado na cidade, casa nova e bem espaçosa. Por uma triste briga na família viu-se obrigada a sair para um lugar bem modesto, casa de porão, aluguel bem mais em conta.
Em função da briga na família o recomeço foi muito difícil para todos, corações rasgados, feridas a serem curadas, mas assim como Jesus, o Senhor dos Senhores nasceu em uma simples manjedoura, o que nesta situação realmente importava não era o lugar modesto, mas a presença do Rei.
O tempo foi passando, os filhos foram curados, outros filhos chegaram a casa. Pela eterna misericórdia do Senhor a família conseguiu comprar um terreno próprio com a ajuda de um dos filhos que emprestou um certa quantia em dinheiro. Após a quitação, toda a família em festa, um plano inicial foi traçado e apresentado. O esboço da nossa nova casa estava num papel, Aleluia !.
Todos concordaram que era preciso ficar na casa modesta, enquanto os recursos para inicio da nova casa era duramente economizado. Tempestivamente, próximo ao fim de ano tomou-se a decisão de mudar de casa, um espaço maior, mais arejado, muito bem localizado, mas logicamente um aluguel maior.
Um dos filhos faz a seguinte reflexão: Seria a hora certa da minha família mudar? Como podemos assumir compromisso para o próximo ano sabendo que este representa 15 ou 20% do que precisamos para iniciarmos a construção da nossa nova casa? O que os meus irmãos acham desta mudança? Passado a primeira hora, parou um pouco, conversou com outro irmão, com a esposa e seus filhos e antes que um turbilhão de questionamentos voltasse a sua mente lembrou-se da Palavra “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá” Ex 20,12
Como é difícil obedecer. Qão duro é este mandamento.
Outro verso veio a mente “Um homem tinha dois filhos, e, dirigindo-se ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na minha vinha (seria este dia quarta-feira, 29/12 ?). Ele, porém, respondendo, disse: Não quero. Mas depois, arrependendo-se, foi. E, dirigindo-se ao segundo, falou-lhe de igual modo; e, respondendo ele, disse: Eu vou, senhor; e não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai? …” Mt 21, 28-31
Graça e Paz.
Anúncios

Sobre marcospoorman

O objetivo deste blog é edificar os irmãos em Cristo através de uma coletânea de mensagens escritas durante minha caminhada cristã.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s