Falso-positivo, falso-negativo.

Estamos vivendo dias difíceis. Pode não parecer, nenhuma perseguição, nossa economia indo relativamente bem, comida na mesa, carro na garagem, mas e a igreja? Como anda?

Este domingo vi algumas situações dramáticas. A voz no púlpito clamando, tremendo, creio que por dentro chorando, chamando as pessoas a uma mudança de atitude, levando-as a uma reflexão para retirar o homem do centro das vontades, mostrando-as diante da Santa Ceia do Senhor que a hora é agora, lembrando-as que a Sagrada Escritura nos avisa antecipadamente do tempo onde acontecerá a apostasia, mas, e ai? Que esforço, que dificuldade do pregador. Será que não chegamos ao tempo deste versículo? “e tendo cauterizada a sua própria consciência”[1]

A Palavra não tem mais o poder de ir as juntas e medulas, fazer divisão da alma e do espírito?[2] Oh! como dói digitar estas linhas. Líderes que não querem compartilhar a Palavra dentro de sua própria congregação. Seus corações deveriam estar ardendo em chamas, gratos à Deus pela oportunidade de expor algo tão precioso, a Palavra de Deus, que é vida, mas não, gélidos e pensativos com mais este “pesado fardo”.

Se fosse possível fazer um teste na igreja hoje certamente encontraremos muitos resultados, mas dois certamente preocupantes: os falsos-negativos e falsos-positivos.

O falso-positivo é o indivíduo que tem o desejo muito grande de ser salvo, seu corpo até gera marcadores positivos, mas quando se aprofunda nos exames veremos que seu caso na verdade trata-se de um negativo, seu objetivo não é ver a Deus, é ser salvo do inferno.

O falso-negativo é aquele que no momento do exame até passa, mas que seu corpo ainda não desenvolveu os anticorpos necessários ou está em um estágio tão avançado da doença que o torna incapaz de produzir mais anticorpos. A doença é a degeneração do homem. O anticorpo só seria produzido mediante a aceitação completa do precioso sangue de Jesus.

Mas não podemos esmorecer, pelo contrário temos que nos preparar não sucumbir no caminho. Para não sucumbir nesta época de Laodicéia, igrejas nem frias e nem quentes.[3]

Nota.:[1] 1Tm4,1-2   [2] Hb 4,12  [3] Ap 3,14-22

Anúncios

Sobre marcospoorman

O objetivo deste blog é edificar os irmãos em Cristo através de uma coletânea de mensagens escritas durante minha caminhada cristã.
Esse post foi publicado em Mensagens. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s