Glória

GloriaO seminário tem sido um tempo gratificante na minha vida. Nas aulas de louvor e adoração temos a oportunidade de explorar este tema na bíblia e historicamente. Esta semana iniciamos o estudo sobre a música na igreja ao longo da história, período patrístico, na idade média e renascença.
(1) Desde seu surgimento que a música cristã foi uma oração cantada, que devia realizar-se não de forma puramente material, mas com devoção ou, como dizia Paulo: “Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.” Efésios 5:19-20.

O texto era, pois, a razão de ser do canto gregoriano. Na verdade, o canto do texto se baseia no princípio – segundo Agostinho, de que “quem canta ora duas vezes“. O canto gregoriano jamais poderá ser entendido sem o texto, o qual tem primazia sobre a melodia, e é quem dá sentido a esta. Por isso, ao interpretá-lo, os cantores devem haver compreendido bem o sentido dele. Em conseqüência, deve-se evitar qualquer impostação de voz de tipo operístico, em que se busca o destaque do intérprete, neste sentido Isidoro de Sevillha(2,3) resume o papel do cantor nas seguintes palavras: “Não fará aparecer uma arte de intérprete, mas manisfestará em seu desdobramento musical uma verdadeira simplicidade cristã. Não sentirá a ostentação própria dos músicos, nem a da arte teatral, mas operará, antes, em seus ouvidos um verdadeiro enternecimento do coração.”

Glória in excélsis Deo,
Et in terra pax homínibus bonae voluntátis.
Laudámus te,
Benedícimus te,
Adorámus te,
Glorificámus te,
Grátias ágimus tibi propter magnam glóriam tuam,
Dómine Deus, Rex cæléstis,
Deus Pater omnípotens.
Dómine Fili Unigénite, Iesu Christe,
Dómine Deus, Agnus Dei, Fílius Patris,
Qui tollis peccáta mundi, miserére nobis;
Qui tollis peccáta mundi, súscipe deprecatiónem nostram.
Qui sedes ad déxteram Patris, miserére nobis.
Quóniam tu solus Sanctus, tu solus Dóminus, tu solus Altíssimus,
Iesu Christe, cum Sancto Spíritu: in glória Dei Patris.
Amen.
Glória a Deus nas alturas,
e paz na terra aos homens de boa vontade.
Nós vos louvamos.
Nós vos bendizemos.
Nós vos adoramos.
Nós vos glorificamos.
Nós vos damos graças por vossa imensa glória.
Senhor Deus, rei dos céus
Deus pai todo poderoso
Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito,
Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai.
Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.
Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica.
Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós.
Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor. Só vós sois o Altíssimo,
Jesus Cristo. Com o Espírito Santo na glória de Deus Pai.
Amém.
1) http://pt.wikipedia.org/wiki/Canto_gregoriano
2) http://pt.wikipedia.org/wiki/Isidoro_de_Sevilha
3) Apostila Louvor e Adoração escrita por Clélio Monteiro de Menezes.
Anúncios

Sobre marcospoorman

O objetivo deste blog é edificar os irmãos em Cristo através de uma coletânea de mensagens escritas durante minha caminhada cristã.
Esse post foi publicado em Teologia e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s